Sexagem Fetal

Gostou? compartilhe!

Sexagem Fetal

O teste de sexagem fetal é uma nova metodologia utilizada para determinação do sexo do bebê, realizada com uma amostra de sangue da mãe. Durante a gestação existe a passagem de uma pequena quantidade de células fetais para o sangue materno. A detecção dessas células é um procedimento não invasivo e sem risco para mãe e para o feto, pois requer apenas a coleta de sangue materno.

Este teste se baseia na identificação de partes do cromossomo Y na circulação materna. Como apenas indivíduos do sexo masculino possuem esse cromossomo dentro de suas células, sua presença indica que o feto é do sexo masculino e sua ausência indica que o feto é do sexo feminino.

ESTE EXAME NÃO DEVE SER REALIZADO QUANDO:

  • A semana gestacional for menor que 10 semanas completas (9 semanas e 7 dias);
  • Realizou transplante de medula óssea;
  • Foi submetida à infusão de linfócitos paternos ou imunização com linfócitos paternos;
  • A gestante recebeu transfusão sanguínea nos últimos 4 meses

O uso de anticoagulantes como enoxaparina (Clexane), heparina (Liquemine), varfarina (Marevan) pode inibir a reação, interferindo no resultado do exame.

Para gêmeos idênticos (chamados de univitelinos) o resultado é válido para ambos os bebês.

Para gêmeos fraternos (presença de duas placentas) o encontro de DNA masculino significa que um dos fetos é do sexo masculino. Se o resultado do teste for ausência do cromossomo Y, indica que ambos gemelares são do sexo feminino.

O resultado deste teste não deve ser interpretado como definitivo já que não garante 100% de acerto. Como qualquer teste biológico o exame de sexagem fetal tem limitações que podem levar a uma indicação errônea do sexo do feto.